DANÇA DA PIROCA

O meu maior problema é que o tédio sempre me faz pensar em putaria. Então sempre que vocês me verem com cara de paisagem em sala saibam que eu estou participando de uma baita orgia. Naquela semana eu andava com uma idéia fixa então falei pro Cláudio que não conseguia parar de imaginar todos os caras para quem eu dei em fila. Depois que a fila fosse formada todos eles iam tirar as calças e eu ia ficar lá contemplando uma espécie de linha do tempo da minha boceta. Depois ia vendar um por um e colocar todos tão alinhadinhos que daria para comparar o tamanho dos paus, bem murchinhos. Aí cada um deles ia segurar a cabecinha para fora e eu ia passar pela fila com a língua para fora da boca, tocando cada um deles. Quando eu chegasse no último ia voltar até o primeiro pau fazendo a mesma coisa e depois ia me afastar. Todos eles estariam bem duros e aí eu ia poder identificar o maior, me ajoelhar e dar uma mamada como recompensa por ser tão grande. Falei pro Cláudio que a idéia já me deixava animada até ali mas o que eu pensava depois era o que estava me deixando bem louca: depois de mamar um pouquinho o vencedor eu ia pegar o cara com a menor piroca da fila e mandar ele mamar o grandão. Para não deixar aquela piroquinha órfã eu ia focar chupando aquelas bolinhas enquanto ele estivesse com a rola na boca. Todo resto da fila estaria vendado então não ia ter como saber que o maior homem da minha vida estava levando uma chupeta do menor, bem ali na frente de todo mundo. Eu ia estar tão excitada com a cena que ia ficar com uma vontade enorme de meter, mas como não meto em pau seco ia passar pela fila e formar pares, metade dos meus homens mamando e punhetando a outra metade. Todos iriam estar proibidos de gozar e de enxergar a situação então eu ia passar bem perto das duplas tocando de leve no meu clitóris. Depois disso todos estariam bem molhados e eu mandaria cada um deles sentar em uma cadeira, as cadeiras estariam formando um círculo e por isso eu ia chamar o jogo de dança da piroca. Uma música ia começar a tocar e eu ia baixar a minha calcinha e sentar na rola do homem com o menor pau até que aquela minhoquinha gozasse, aí depois ia ficar andando em volta das cadeiras, ia ter porra escorrendo pela minha coxa mas eu não ia parar de andar até que a musica se interrompesse e assim que ela parasse eu sentaria no pau do homem que estivesse na minha frente, rebolaria na piroca até ele gozar com gritinhos e partiria para o próximo, sentaria com a buceta lubrificada com a porra dos últimos homens e assim iria nesse joguinho até que que o ultimo homem gozasse, então nesse momento, eu iria mandar o meu homem de maior pau deitar no chão, iria colar a minha vagina na boca dele e forçar toda porra de todos os homens para fora, e aí sim chegaria minha vez e eu iria gozar como nenhuma mulher antes gozou na vida.

Olhei para o Cláudio e perguntei o que ele achava da minha idéia. Claudio me colocou de barriga pra cima e meteu na minha bunda. As vezes os homens não tem nenhuma criatividade.

Anúncios

4 comentários em “DANÇA DA PIROCA”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s