DOUTORES DA ALEGRIA

Quando eu morrer, cinco imbecis usando jaleco e nariz de palhaço vão me receber no inferno.

Bem vinda, Carolina.

Depois vão puxar um livro infantil de uma bolsa amarela gigante e vão ler a história inteira fazendo voz de fantoche. Vão cantar músicas soprando uma gaita colorida. Por útimo, vão se despedir com um abraço coletivo. Vão retirar os narizes, guardar o jaleco e atravessar a rua para tomar suco de clorofila na lanchonete em frente ao hospital enquanto comentam como eu e os outros doentes somos corajosos.

“É tão bom levar alegria para eles”, diz Juliana, 25 anos, estudante de direito.

“Na verdade são eles que nos alegram”, concorda Márcio, 23, enquanto olha as horas para ver se vai chegar a tempo no curso de permacultura.

Doutor da alegria é o nome que se dá para jovem de classe média que tem fetiche na dor alheia. Quando eu estiver no inferno e um universitário de olhos verdes estiver enfiando um trompete de brinquedo no meu rabo eu vou encontrar forças para peidar até voltar para terra só pra criar uma lei universal que impeça um jovem adulto saudável de levar a sua alegria para uma criança doente. Acredite,

se você nunca comemorou ao tomar um prato de sopa sem vomitar

se você não mostrou para seus pais o prato de sopa vazio e disse olha, mãe

e viu um sorriso triste de volta

se a sua mãe não se escondeu no banheiro para chorar depois

se você nunca escolheu um desenho animado sabendo que talvez seja a última vez que você vai escolher um desenho animado na vida você não pode, eu repito, não pode, espalhar a sua alegria barata. Seu filho duma puta. Seu palhaço do inferno. Toda criança que dorme a base de morfina sabe mais sobre gratidão do que uma aula inteira de yoga. Toda criança que teve um transplante agendado para semana que vem deveria cobrar para ser vista por um par de olhos que nunca pegou nada além de gripe

Todo imbecil que pinta a cara deveria saber que cada maquiagem de palhaço feita equivale a um ano inteiro no inferno. Eu volto, eu repito: eu volto. E depois eu morro de novo só para pintar a palavra gratidão com a minha merda

na testa de vocês.

3 comentários em “DOUTORES DA ALEGRIA”

  1. “Toda criança que dorme a base de morfina sabe mais sobre gratidão do que uma aula inteira de yoga”.
    Li esse trecho com voz embargada, um aperto no peito e um desconforto no estômago. Tornei-me tetraplégico a pouco mais de um ano, tenho aprendido bastante sobre a dor e sobre as incertezas da vida. Contudo, não consigo imaginar o que é passar pelo que essas crianças passam e sempre que me deparo com um relato desses me sinto um egoísta. E sinto que tenho muito a melhorar.

    Curtido por 1 pessoa

    1. Rafael, no dia em que li teu comentário quis te responder aqui, mas o que eu queria dizer era um tanto íntimo para ser exposto para todos os leitores. Se quiser entrar em contato comigo para conversarmos, me adiciona no facebook ou insta.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s